Dili, 22/02/2019, O Secretário Executivo do Fundo de Desenvolvimento do Capital Humano (ST-FDCH) Sr. Isménio Martins da Silva afirmou que os beneficiários do FDCH durante a sua existência, vêm de todos os Municípios incluindo a Região  Administrativa Especial de Oe-Cusse, Ambeno.

“Os dados que sempre são apresentados para V. Exias podem ser verificados e mostram que os municípios têm números semelhantes de beneficiários. Quando eu começei o serviço no FDCH no dia 1 de Abril de 2014, depois de ter regressado da Austrália como adido do trabalho da SEPFOPE, iniciamos o registo dos dados e verificamos que os dados dos beneficiários na sua maioria representam mesmo todos os municípios,” disse o Secretário Executivo na Sala da Plenária do Parlamento Nacional como resposta a preocupação apresentada pelos deputados em relação a atribuição de bolsas de estudo a cada município que não era igual.

“O Fundo continua com a política de dar acesso a todas as pessoas e durante este ano irá dar subsídio individual para os estudantes a estudarem no país e no estrangeiro com base no seu aproveitamento escolar nomeadamente para a área de ciência exata um valor de 2.75 e para a área de ciência social um valor de 3 de média,” disse o Secretário Executivo do FDCH Sr. Isménio Martins em resposta a preocupação dos deputados sobre o acesso dos cidadãos ao FDCH.

Com base nos dados dos números de beneficiários representativos de todos os municípios que o FDCH tem, de 2011 a 2018 um total de 5005 timorenses receberam bolsa de estudo para irem estudar no estrangeiro e no país espalhados por 227 universidades e deste número um total de 3 mil já terminaram os seus estudos e voltaram ao país.

Deste total de bolseiros que terminaram os seus estudos e que já voltaram para o país, cerca de 80% estão empregados  no setor público e setor privado, 10%  estão empregados por conta própria e 10% estão a procura de emprego.

Com o objetivo de ajudar os beneficiários a entrar no mercado de trabalho, em 2019 o FDCH realizará um programa de estágio profissional para aqueles graduados que agora estão desempregados através dum estágio em instituições do estado e privadas para terem experiência de serviço e poderem ser absorvidos pelo mercado.

Entretanto, em relação ao mecanismo de fornecimento de bolsas de estudo para os timorenses, o FDCH tem trabalhado em conjunto com todos os ministérios de modo a identificarem o plano de cada ano, as suas áreas prioritárias para que o conselho de administração possa decidir sobre os programas prioritários e dar aprovação, o que quer dizer que o ST-FDCH não tem poder de decisão.

Do mesmo modo, os beneficiários filhos dos Veteranos e Combatentes desde o início do FDCH até a data, num total de 500 timorenses foram beneficiados.

“A bolsa de estudo para os filhos dos veteranos e combatentes de libertação da Pátria, até ao momento tem 500 beneficiários desde que o presidente do Conselho de Administração Sr. Kay Rala Xanana Gusmão assumiu o cargo como Primeiro Ministro e depois como Ministro do MPIE, sempre houve programas para assegurar os estudos dos filhos dos veteranos. Os beneficiários filhos dos Veteranos e Combatentes estão a estudar no nível de licenciatura e nível de mestrado.

O Secretário Executivo do FDCH também disse que está pronto para fornecer em breve, os dados detalhados dos beneficiários na área de bolsas de estudo para os deputados, de modo que os deputados possam continuar a acompanhar o serviço do FDCH.(Média FDCH )

Related Post :


Total Viewer : 531 Views || Category: Notícia